Sugestões Para Quem Não Gosta de Redes Sociais. Elas São Mais Uma Oportunidade Para O Mercado de Trabalho!

14
SHARES

20110728-003209.jpg

Percebe-se que uma pessoa que trabalha entre dez a doze horas por dia, não tenha tempo para estar no Facebook, não tenha paciência para estar nas redes ou mesmo que a tenha, já tentou participar, mas desistiu. Talvez pela aparente confusão e alguma falta de sentido prático do que se passa nas redes sociais.

Mas, é preciso ter consciência de que, no campo profissional, participar nas redes sociais está a deixar de ser uma opção para se tornar um requisito obrigatório de empregabilidade.

Veja-se a influência e o poder do LinkedIn.

Cada vez mais os departarmentos de Recursos Humanos das empresas, têm usado as redes sociais, especificamente o LinkedIn como critério de selecção dos candidatos.

20110728-003258.jpg

Se não se estiver em rede não se participa desses processo de recrutamento. Mas também pode estar nas redes sociais e ninguém lhe ligar.

É importante ter os perfis actualizados e contactar pessoas que estão na rede. Uma das preciosidades das redes sociais é a interacção. Sem interacção, não há contactos, nem comunicação. Pense nos contactos que tem na rede para interagir com eles.

Saiba o que fazer para aumentar as oportunidades no mercado de trabalho através das redes sociais, mesmo que esteja a trabalhar.

Mesmo tendo pouco tempo, ter uma postura contra as redes sociais e pensar que elas servem apenas para os “chats” e para reavivar relações com as antigas namoradas, deve manter a possibilidade de uma presença online que se evidencie no mercado do trabalho.

Transparência e objectividade – Defina claramente o que quer. Se o objectivo é manter o seu currículo online e manter contactos profissionais (networking) deve utilizar o LinkedIn. O LinkedIn é um currículo online em que é possível não só manter o seu perfil actualizado como localizar colegas de trabalho, fornecedores e clientes. Há mais redes sociais (networking) mas não têm a expressão do LinkedIn.

20110728-003232.jpg

Actualizar perfis – actualize e preencha o seu perfil. Seja ele nas redes sociais ou na simples conta de e-mail. Deve colocar todas as informações que julga importantes. Se tiver conhecimeno de línguas, não hesite. É recomedado colocar perfis em inglês.

Interagir – Este é um dos pontos fortes das redes sociais. Sem diálogo e interacção, não há relacionamento online e os utilizadores tendem a abandoná-lo. Não tem de se corresponder com toda a sua rede de contactos, mas faça uma lista daqueles que lhe podem ser úteis e dedique-se, a cem por cento, a esses contactos. Não se relacione com quem não conhece apenas para ter mais relacionamentos, que não tem valor no momento certo.
Convide colegas de trabalho, ex-colegas de escola, amigos de infância. São estas pessoas que lhe podem abrir portas para o mercado de trabalho e manter bons relacionamentos.

Relevância – A maioria dos utilizadores não gostam de amigos “chatos” que só se lembram quando é para “pedir”. Deve manter-se um contacto permanente com os influenciadores e não apenas, quando é para entregarem um currículo ou apresentarem um fornecedor ou um cliente.
As relaçoes online são uma extensão do offline. Portanto, não é hábito “pedir” favores a pessoas que não conhecemos. O sucesso do networking é a reciprocidade nos relacionamentos é a relevância. Peça recomendações aos amigos, e faça também as suas recomendações. De vez enquando, lembre-se que há vida para além do online, pagar um café e pôr a conversa em dia é importante para manter laços de amizade.

Estabelecer horários – Estabeleça horários para estar nas Redes Sociais: defina dois dias por semana para actualizar o seu perfil, comentar ou responder a comentários e visitar perfis de amigos. Não se esqueça do e-mail pessoal.

Se o Facebook lhe parecem caótico, experimente visitar redes segmentadas de acordo com seus interesses profissionais ou pessoais. Há redes sociais sobre vários temas e mais segmentadas. (quem gosta de fotografia deve estar no Flickr) Basta efectuar uma busca no google.

Mas lembre-se, pior do que estar presente nas redes sociais, é não estar. Os clientes, os fornecedores, os comerciantes, os amigos e os ex-colegas, estão online.

14
SHARES


Fundador do Blogue MediasSociais - a nova tendência, experiência em Jornalismo, Formação em Comunicação Empresarial e Pós-Graduação em Marketing & Banking Social Media no ISGB. Autor dos eBook's Toolkit de Social Media Marketing e Pensar Social Media.

2 Comentários

  1. André says:

    Concordo. Cada vez é mais difícil de deixar de participar em redes sociais como o facebook, porque cada vez mais as grandes empresas apostam nessas páginas como meio de divulgação. Cada vez mais deixam de haver websites e sim páginas nessas redes sociais. Quem trabalha para essas empresas, precisa de ficar informado e conectado às novidades da mesma e uma vez que não existe outro meio, acaba por ficar dependente.

Deixar uma resposta